domingo, 12 de maio de 2019

Amblipígio


 Amblipígio

Seu nome científico é Ambliplígoele pode atingir 4,5. Vivem em florestas tropicais e subtropicais, também são encontrados em cavernas. O primeiro par de pernas desse animal é extremamente alongado e possui funções sensorial e de comunicação intraespecífica



Uma ordem de aracnídeo que é a classe Arachnida, a mesma classe das aranhasescorpiões carrapatos.




No Brasil tem-se aproximadamente 13 espécies em três famílias (CharinidaePhrynidae Phrynichidae),que se distribuem da região do Mato Grosso do Sul para a região norte brasileira.



Narval Monodom monoceros

Narval


       Monodom monoceros


O narval macho chega a pesar 2 

toneladas.Ele pode ter 5 metros 

de largura mas o que mais é 

conhecido nele é sua presa.

Sua presa é a única que pode 

atingir 3 metros que usam para se

alimentar.



O narval vive toda a vida no 

Ártico se alimentando de 

pequenos peixes.

Eles vivem cerca de 50 anos e se 

reproduzem por genética com 7 

ou 8 anos,o filhote demora 14 

meses pra nascer.































INTEGRANTES:Davi e Héctor
TURMA: 73
PROFESSOR:Elemar Gomes
DISCIPLINA:Português
Data:07/05/19

terça-feira, 7 de maio de 2019

Verbete: Amanda e Richard


Raposa-do-ártico



A raposa do ártico é um mamífero comum que vive em pequenas dimensões, habitante do hemisfério norte, elas vivem no norte da Europa, Ásia e América, mais especificamente na Groenlândia e na Islândia. Seu nome científico é Vulpes Lagopus.
As raposas adultas medem 25-30 cm, e o peso varia para macho e fêmea, o macho adulto pode pesar 3,2kg-9,4kg, e a fêmea adulta pode pesar 1,4kg-3,2kg, o comprimento dela também varia de fêmea e macho, macho adulto 80-110 cm, fêmea adulta 71-85 cm, a pelagem dessa raposa varia de acordo com as estações do ano. Quando é inverno, é branca. Mas, se está no verão, passa a ser da cor castanho-parda. A camada inferior de pelo da raposa do ártico, por sinal, é mais densa e espessa do que a exterior. As pequenas orelhas desse animal são revestidas de uma camada de pelo que ajuda a reter o calor nos períodos mais frios do ano. Já, as patas são relativamente grandes, o que evita que essa raposa afunde na neve fofa. Sem contar que essas patas ainda possuem um pelo lanudo, que funciona tanto como isolante, quanto como antiderrapante. A cauda, por sua vez, é pequena, espessa e bem densa, não chegando a ter mais do que 30 cm de comprimento.
Em se tratando de vida conjugal, a raposa do ártico é monogâmica, com os mesmos pares acasalando durante a vida. Nota-se, inclusive, que quando estão procriando, macho e fêmea partilham o mesmo território com outros casais. Ao mesmo tempo, constroem uma toca em uma zona que seja abrigada e sem neve, ou mesmo entre algumas pedras.
Como essa raposa vive na neve, ela não tem muitas opções de comida, mas ela come lêmingues, ratos e pequenos mamíferos. Quando se aproximam um pouco mais da costa, ela pode comer caranguejos, peixes e até aves marinhas junto com os seus ovos.  Existem momentos em que até carne putrefata serve de alimento para essas raposas. Elas seguem os ursos polares, e acabam se alimentando dos restos das focas deixados por eles. Quando a região tem certa fartura de alimento, essas raposas armazenam um pouco das sobras de carne em suas tocas.
A reprodução das raposas do ártico se dá no início do verão. Um casal produz, em média, uma ninhada de 6 a 10 crias. Já, o período de gestação pode chegar a cerca de 50 dias. Interessante notar que não somente os pais, mas também fêmeas ajudantes auxiliam na criação e cuidados com os filhotes. Depois de aproximadamente nove semanas, as crias são desmamadas, e após 15 semanas, elas, finalmente, saem das tocas. Enquanto estão no ninho, tanto os filhotes, quanto os seus pais, comem em torno de quatro mil lêmingues, que é a sua presa favorita. Essas raposas chegam a viver 3 a 10 anos e atinge a maturidade aos 10 meses.
Video da raposa do ártico: https://www.youtube.com/watch?v=lu2j2Yv_fV8
 Resultado de imagem para raposa do artico Resultado de imagem para raposa do artico Resultado de imagem para raposa do artico filhotes

LESMA DO MAR


Lesma do mar

Oceanos: novas e fascinantes descobertas, desta vez são as lesmas do mar

Lesmas do mar: aos poucos os estudos sobre a vida marinha se aprofundam e novas descobertas são feitas. Até hoje calcula-se que menos 5% do espaço marinho (profundo) foi estudado. O ser humano preferiu explorar o espaço antes de conhecer seu próprio planeta. 
Elas pertencem à classe dos ‘nudibrânquios e constituem uma subordem dos moluscos gastrópodes marinhos. Existem cerca de 3.000 espécies de lesmas-do-mar. Sua característica que mais chama a atenção é a beleza de cores e formas, modo que estes animais encontraram para se proteger de seus predadores camuflando-se em seus habitats, os recifes de corais.

Os nudibrânquios são pequenos animais marinhos pertencentes ao grupo dos moluscos gastrópodes.

















































Ele percebeu que a lapa (Patella vulgata) – um molusco protegido por uma concha – usa a trilha de muco para armazenar sua comida: ele come as algas que ficam grudadas no rastro gelatinoso. ... As trilhas também ajudam caramujos e lesmas a achar o rumo de casa depois de uma viagem em busca de alimento
A principal doença transmitida pelas lesmas vem dos ratos e elas fazem o papel de disseminar este vírus. A angiostrongilose pode ter formas físicas e neurológicas. Podendo causar dores como se fossem de apendicitedores muscularesdor de cabeça e na nuca...
RAPHAEL VINICIUS
PROF: ELEMAR GOMES 
TURMA :73

AXOLOTE O ANIMAL ESTRANHO


Axolote


Ambystoma mexicanum



É uma espécie de salamandra que não se desenvolve na fase de larva, permanecendo nesse estado mesmo adultos. É um exemplo de animal neoténico, pois conserva durante toda a vida brânquias externas, uma característica do estado larva Um axolote adulto pode medir de 15 a 45 cm embora o comprimento mais comum seja 23 cm e seja raro encontrar um espécime com mais de 30 cm. As cabeças são amplas e possuem olhos sem pálpebras. Os machos são identificáveis apenas na época de reprodução pela presença de cloacas muito mais pronunciadas e de aspecto redondo.Ao contrário do que ocorre com seus parentes próximos, como sapos e rãs, que passam a viver na terra quando deixam as formas larvais, os axolotes permanecem na água por toda a vida. 

Resultado de imagem para AXOLOTE
Imagem relacionadaResultado de imagem para AXOLOTE



Vídeo sobre o Axolote:


Ana Clara, Murilo, Laura S e Arthur R.
Português
30/04/2019 Prof° Elemar Gomes


 Amblipígio

Seu nome científico é Ambliplígoele pode atingir 4,5. Vivem em florestas tropicais e subtropicais, também são encontrados em cavernas. O primeiro par de pernas desse animal é extremamente alongado e possui funções sensorial e de comunicação intraespecífica



Uma ordem de aracnídeo que é a classe Arachnida, a mesma classe das aranhasescorpiões carrapatos.




No Brasil tem-se aproximadamente 13 espécies em três famílias (CharinidaePhrynidae Phrynichidae),que se distribuem da região do Mato Grosso do Sul para a região norte brasileira.